10 teorias sobre ‘American Horror Story: Roanoke’

Sejamos honestos: uma das melhores partes de American Horror Story é o suspense. Ninguém mais que Ryan Murphy, que nos proveu nada menos de 25 teasers para nos confundir a respeito do verdadeiro tema da temporada.

Contada através das lentes de um “mocumentário”, agora sabemos que a sexta temporada focará nos eventos que circundam a colônia perdida de Roanoke, onde 117 homens, mulheres e crianças desapareceram misteriosamente em 1590. Mas o que aprendemos com a season premiere não nos ajudou muito a compreender a história. Confira a seguir as teorias mais interessantes feitas por fãs no Reddit até agora:

1. Alguém está mentindo.

Se um narrador estiver mentindo, toda a história pode mudar bastante. Se Shelby (Lily Rabe/Sarah Paulson) estiver mentindo, todos os aspectos sobrenaturais da história vão se perder. Por já ter ficado separada duas vezes de Lee (Adina Porter/Angela Bassett) e Matt (André Holland/Cuba Gooding Jr.), boa parte da história narrada por Shelby só teve ela como testemunha. Se Matt estiver mentindo, nenhuma das duas ameaças anônimas aconteceram.

anigif3

2. Os atores serão os próximos afetados. 

Por conta de estarem reencenando o ocorrido provavelmente no mesmo ambiente onde a família original esteve, existe uma grande chance dos atores serem afetados pela casa e por todo o mistério de Roanoke que a cerca.

3. Os narradores não são quem dizem ser.

Apesar da probabilidade da história ser real, os narradores podem ser atores também.

4. Além da história família Miller, ouviremos mais histórias de Roanoke.

“My Roanoke Nightmare” talvez reúna testemunhos de outras pessoas que experienciaram situações bizarras naquela terra além do testemunho que já estamos conhecendo.

5. Shelby é uma bruxa.

Matt finalmente acordou no hospital após Shelby segurar sua mão, e logo em seguida ela sofreu um aborto espontâneo. Shelby pode ser uma descendente das bruxas de Salem e ter realizado o Vitalum Vitalis sem ter percebido. Para quem não se lembra muito de Coven, o Vitalum Vitalis é um feitiço que funciona como uma “troca de vitalidade”, que pode ser aplicada em pessoas gravemente feridas e em pessoas já mortas. Shelby pode ter, inconscientemente, trocado a vida de seu bebê pela a de Matt.

anigif

6. Uma entidade está influenciando eles.

O maior medo da Shelby é que Matt morra, o que se manifestou através da chuva de dentes e pela aparição das enfermeiras. Já o da Lee é perder sua sobriedade e sua filha, o que se manifestou pela garrafa de vinho que foi rolada até ela e por potenciais eventos do próximo episódio. Tal entidade poderia ser alienígenas, fantasmas ou algum ser de outra dimensão. Ela poderia ser boa, má ou até neutra. A entidade poderia também ter influenciado Lee e Shelby a irem até o porão enquanto a casa estava sendo invadida.

7. Os caipiras são os mocinhos.

Eles foram o primeiro grupo que levantou suspeitas. Parecem ser nativos do local, portanto, têm maior conhecimento sobre as terras. Comprar a propriedade significaria manter pessoas longe dali.

8. O “Homem Porco” é o mocinho.

O homem com cabeça de porco poderia apenas ser mais uma vítima dos eventos estranhos que acontecem na propriedade, e não um monstro.

9. A história vai desmoronar.

Ter várias narrativas pode nos fazer questionar quem está contando as histórias. Múltiplas testemunhas podem significar que várias pessoas estão passando por coisas diferentes ao mesmo tempo. Enquanto Shelby via algo horroroso, Lee não enxergava nada, na mesma sala. Os narradores vão começar a desconfiar uns dos outros. Lee já se mostra desconfiada de Shelby, enquanto Shelby já questionou se Matt confia ou não nela. Isso pode fazer com que “confiança” seja um tema recorrente na temporada.

anigif2

10. Nós vamos ver o que realmente aconteceu.

Assim que o documentário terminar e ouvirmos os três pontos de vista (Shelby, Matt e Lee), finalmente vamos ver o que de fato aconteceu com os personagens de Lily Rabe e cia., e isso irá revelar algo drasticamente diferente do que foi mostrado no documentário “My Roanoke Nightmare”.

O segundo episódio, intitulado como “Chapter Two”, foi escrito por Tim Minear e dirigido por Michael Goie irá ao ar na próxima quarta-feira, dia 21, no FX USA.

Tradução por Aline Ruth Schmidt e Gabriel Fernandes.