Balanço da PaleyFest: Sexta temporada envolverá crianças

Ao contrário das expectativas dos telespectadores, os produtores e o elenco de American Horror Story não revelaram qual será o tema da sexta temporada durante o painel do seriado na PaleyFest 2016, realizado ontem (20). Com isso, a tradição de anunciar o assunto da próxima história durante esse evento é quebrada. O que Ryan Murphy afirmou de mais concreto sobre a história do sexto ano é que ela irá envolver crianças.

Os roteiristas estão trabalhando em dois possíveis temas para a sexta temporada, algo novo no desenvolvimento do seriado. Murphy preferiu não revelar qual das idéias será a definitiva, mas deixou escapar que ambas farão uso de atores mirins. Há algumas semanas circulou na web o rumor de que o monstro central da temporada seria o Slender Man, lenda criada na internet sobre uma criatura sem face, com terno preto que percebe crianças. Porém, a Entertainment Weekly publicou uma notícia com a informação de que uma fonte confiável ligada a American Horror Story confirmou que o Slender Man não estará presente.

Ao abordar a participação do elenco infantil em “Hotel”, o produtor afirmou ter se espantado com o fato de algumas das crianças terem assistido temporadas anteriores e de que elas não tinham medo de nada. Segundo ele, os atores adultos e os mais jovens se deram muito bem nas gravações – e o caso de Lady Gaga e os intérpretes de seus filhos vampiros era especial.

12052661_1213275952034726_8556247782599732964_o

ELENCO
Não houve confirmação de mais nomes do elenco para a próxima temporada. Murphy apenas comentou que qualquer um dos presentes pode retornar. “Eu não quero dizer o que será [em relação ao tema], mas irei contar que qualquer pessoa querida aqui presente que quiser pode voltar”, afirmou o produtor durante o painel. No palco estavam Sarah Paulson, Angela Bassett (ambas já confirmadas), Kathy Bates, Denis O’Hare, Matt Bomer, Finn Wittrock, Cheyenne Jackson e Wes Bentley.

A equipe comentou suas participações em “Hotel”. Denis confessou ter ficado aterrorizado com a cena de amor de Liz Taylor, embora ela tenha sido belamente escrita. Wes  revelou que desde o início sabia que seu personagem, John Lowe era o assassino e que foi interessante interpretá-lo ser desonesto sobre isso. Finn contou ter sugerido as mudanças em sua aparência quando foi interpretar Valentino. Ele disse que a transição entre seus dois personagens foi difícil de se fazer, mas brincou que pelo menos se livrou do penteado de Tristan. Sarah contou ter adorado ter feito uma personagem violenta. Ela afirmou que quase enlouqueceu ao interpretar Sally e Marcia Clark [de American Crime Story] ao mesmo tempo, porém que as duas personagens têm como traço em um comum um bom instinto de sobrevivência.

Ryan comentou que foi quem ele quem inventou o Demônio do Vício. “Era uma metáfora bizarra sobre dependência”. Ele conta também que Bartholomew, o filho vampiro de Condessa que nasceu com má formação, é inspirado no filme “It’s Alive” (1974), um terror sobre um casal que descobre que seu bebê é um monstro capaz de matar.

LADY GAGA
Os participantes do painel também falaram sobre Lady Gaga. Ryan contou que inicialmente a qualidade da atuação da cantora e atriz que deu vida à Condessa era uma incógnita, mas que tê-la em Hotel foi sempre um grande momento para cultura pop.

Matt disse que a colega lidava com o trabalho de forma humilde. “Fiquei impressionado com ela”. Brad Falchuk, o co-criador do seriado, descreveu Gaga como corajosa, entusiasta em relação a tudo. “É assim que ela é como artista”. Ryan achou Gaga incrivelmente comovente como pessoa. “Ela tinha fome por um senso de comunidade. Ela queria ser uma atriz”. Ele conta que quando Kathy parabenizou a intérprete de Condessa por seu trabalho, ela chorou. Sarah também a elogiou a colega: “Gaga é uma atriz com disponibilidade emocional, como a Jessica [Lange]“. Já Cheyenne  comentou o beijo da colega, descrevendo-o como muito bom e suave.

'