Books To Die For #4 – Psicose

Psicose conta a história de Mary Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora.

O livro não é muito longo e a história não se estende de uma maneira a se desenrolar depois. Assim como muitos fãs, eu também assisti ao filme, e devo admitir que o livro é melhor do que a obra cinematográfica. No livro, é dada a possibilidade de entrar na mente dos personagens, o que é incrível.

Sua história narra alternadamente os fatos que envolvem Mary Crane e o psicótico Norman Bates. Mary, uma fugitiva que roubou 40 mil dólares confiados a ela pelo seu chefe, acaba pegando uma antiga estrada na rodovia, e chega ao Bates Motel. Como chovia muito e ela estava cansada resolve ficar por ali mesmo e se hospedar. Ao conhecer o dono do motel, Norman, mal sabia ela que suas horas estavam contadas. Estranhando o desaparecimento da irmã, Lila Crane procura o namorado da mesma, Sam Loomis. Ambos acabam se aprofundando no caso e fazendo terríveis descobertas sobre tudo o que aconteceu.

Norman é fascinado por leitura. Ele lê muito, e ao folhear das páginas você começa a perceber que ele é um homem muito inteligente, embora o seu gosto por leitura seja um pouco estranho. Norman é também um homem muito solitário, cuja vida parece ter sido ofuscada por sua mãe dominadora, com quem tem um bom argumento desagradável nas primeiras páginas do livro.

Após 50 anos sem circular nas prateleiras brasileiras, Psicose volta, com uma edição especial incrível, criada pela editora DarkSide. Cada capítulo é introduzido por uma ilustração, ou alguma imagem. Isso fez o diferencial nesta edição.

Bem escrito. Simples narrativas alternadas de terceiros. Sem desperdício de palavras. Cenas clássicas memoráveis ​​que têm a capacidade de permanecer em sua mente por um longo tempo. Quem não viu o filme? Quem não se lembra da cena do chuveiro? A casa na colina atrás do hotel? A velha sentada em uma cadeira de balanço perto da janela?