Books To Die For #9 – A Casa Iluminada

A coluna Books To Die For trás mais um título brasileiro, que foi finalista do Prêmio Benvirá de Literatura (2010), e já possui os direitos comprados para o cinema. O livro “A Casa Iluminada“, de Alessandro Thomé, é uma viagem alucinante pela mente de uma pessoa devastada e com sede de vingança, que fará o que for preciso para vingar a morte da pessoa amada.

Melquíades, após ter suas esposa morta e estuprada (nessa ordem), se desespera, e seus atos acabam dando-lhe visibilidade na mídia. Ismael, o assassino, se entrega à polícia. Trata-se de um pescador que se mostra dono de uma personalidade intrigante, quase incompreensível. Melquíades decide ir conhecer o assassino de sua esposa na cadeia, para ter acesso a informações que pudessem ajudá-lo a arquitetar seu plano de vingança, e consegue. A partir desse ponto a história ganha formato e consegue impulso (e que impulso!).

Após todo sofrimento, Melquíades resolve mudar de vida para tentar retornar à normalidade, mas com objetivo maior, que era se vingar de Ismael, mudou-se para um vilarejo chamado Vila Santa, um lugar praiano. Ele resolve comprar um barco e ganhar um pouco de dinheiro, para aos poucos iniciar a sua vingança que já estava arquitetada. Lá conhece o seu Toninho, que acaba virando o seu sócio, e futuramente, seu sogro, pois acaba se envolvendo com a sua filha, Mariana. Todavia, não fica com a jovem por amor, já que tinha como intuito usar Mariana como objeto de sua vingança. No final, nem tudo sai como o esperado.

A Casa Iluminada traz uma trama bem construída e intensa, com uma leitura curta e objetiva. É o exemplo vivo (escrito) de que o Brasil também tem muito a oferecer na literatura.

  • Alessandro Thomé

    Que bom que gostou, Gustavo. E obrigado pela resenha.
    Em breve terei notícias sobre o lançamento do novo livro.
    Grande abraço.

'