CONFIRA A NOVA ENTREVISTA DE RYAN MURPHY SOBRE FREAK SHOW

1111

Ryan Murphy sobre AHS Freak Show: “Nesta temporada, uma vez que você morre, permanece morto.”

Por agora, os ávidos telespectadores sabem que cada temporada de AHS é uma trama totalmente nova, mas com quase todo o mesmo grupo de atores. Cada instalação, que também são os mais importantes “troncos de ramificação”, das brilhantes e imaginárias mentes dos co criadores Ryan Murphy e Brad Falchuk.

Murphy ofereceu alguns detalhes para o  EW‘s Fall TV Preview, da nova locação em New Orleans, Freak Show — que retorna 8 de outubro, às 22h na FX.

EW: De onde isto veio? Sei que é de algo que você e Jessica haviam conversado sobre, correto?
RYAN MURPHY: É algo que Jessica sempre esteve falando. Jessica é uma fotógrafa, então ela sempre esteve interessada neste mundo “Carni” (Shows de circo). Se você olhar as suas fotografias, ela sempre foi interessada na parte perdida e esquecida e na parte bonita da lembrança de sobrevivência disso tudo. Nós falamos sobre isto todas as semanas. Ela me mandou um livro, na verdade. Uma vez que comecei a investir e eu realmente gostei da idéia, porque é um mundo tão maduro. Este mundo de circo, o do freak show, em especial, realmente acabou quando a televisão começou. Então um freak show foi substituído por outro. Esta sempre foi a idéia. Eu estava particularmente interessado no “Freaks”, de Tod Browning. Eu amei o filme Carnival of Los Souls, então tem bastante alegoria de terror para explorar e admirar. É um ano grande também, então eu achei que tomaria tempo e sucesso para termos dinheiro e fazermos o que fazemos. Tivemos que construir uma cidade inteira. Construímos um composto inteiro e depois tivemos de construir o interior dos prédios no set. Foi tudo baseado na pesquisa imaculada do produtor de design Mark Worthington. Quando a Jessica entrou lá a primeira vez, ela ficou com lágrimas nos olhos. Ela continuava dizendo “ Parece um poema, parece um poema”. É um lugar muito romântico e triste.

EW: Então o que pode nos dizer sobre o elemento principal desta temporada?
RYAN: Meio que com o tempo, as peças se encaixam na nossa cultura, onde pessoas diferentes, de diferentes tipos e vidas começam a defender seus direitos. Os performers tiveram que aturar por séculos, o abuso que era verdadeiro até o ponto que ninguém mais consegue aturar. Os artistas de circo de horrores, sempre foram vistos como inferiores, bandidos, vermes. Eles não tinham permissão para sentar em certas partes de mesas para jantar. Eles não eram permitidos entrar nos cinemas. Eles realmente eram banidos da sociedade. Eram tratados como resíduos. Então, a Elsa continua tentando manter o show acontecendo, até que ela tropeça em cima de duas garotas gêmeas unidas pelo mesmo corpo, mas com suas cabeças, interpretadas por Sarah Paulson, que talvez seja, talvez não seja responsável por atividades abomináveis que acontecem na cidade. Então, de repente, ela se torna sua nova manchete e claro, começa a atrair pessoas de longe para ver as bizarras e especiais garotas.

Nós unimos as gêmeas de um jeito bem interessante, onde ninguém fez anteriormente. O que estamos fazendo com o corpo de Sarah, é um corpo com duas cabeças. É bastante técnica e maravilhosa a atuação da Senhora Paulson. Acho que as pessoas vão ficar boquiabertas. Nós meio que criamos esta tecnologia para fazer funcionar, e é algo que nunca foi feito anteriormente, eu estava muito interessado nesse desafio.

EW: Então como funciona?
RYAN: Basicamente, Sarah tem duas cabeças diferentes. Então, ela está interpretando Dot, que tem a cabeça falsa, para que ela possa olhar pra cabeça falsa. Quando olhamos no mesmo quadro, estamos medindo tudo, então tem o CGI e um take off da cabeça. Aí ela troca sua tiara e interpreta a outra gêmea, Bette. Então, neste computador gráfico foca num corpo só. Ela está interpretando duas pessoas diferentes. Mas leva o quádruplo de tempo só para fazer uma cena com atores comuns no ambiente, é muito trabalhoso. Mas fica ótimo. Estou muito orgulhoso disso.

EW: E qual é a da personagem de Jessica, Elsa? Ela é boa ou é uma vilã?

RYAN: Ano passado, achei sua parte mais vilã com certeza. Este ano, o negócio da Elsa, é que ela tem uma alma muito benevolente, até porque seu show está no ar desde os anos 30. O que ela fez por 20 anos foi ter ido parar em hospitais e prisões para resgatar estes “performers freaks” de circo que vão ser enviados para sanatórios, mas ela assina a exoneração deles e se torna sua guardiã. Então, ela os ama e toma conta deles. Ela é meio que uma mãezona de todos eles. Ela está tentando fazer qualquer coisa para que este freak show continue. Do jeito dela, ela se identifica com eles e se sente como um deles também. Ela está interpretando uma alemã ex Pat que teve carreira na Alemanha e veio aqui depois da guerra.

EW: E sobre Ethel e Jimmy Darling, interpretados por Kathy Bates e Evan Peters?

RYAN: Bom, basicamente, Ethel é a mão direita de Elsa. Ela ajuda a montar o acampamento e meio que é a guardiã da lei. Ela esteve numa tragédia, onde ela realmente era uma estrela de circo dos anos 20 aos 30, mas teve um bebê e se manteve alterada por álcool até que Elsa a salvou da bebedeira. Então ela está em débito com Elsa, ela fará o que ela pedir, então ela realmente é seu braço direito. Jimmy é o grande homem do campus e é o líder masculino até que o personagem de Michael Chiklis aparece, um homem forte que começa uma batalha de poder em cima de Elsa.

EW: Chiklis e Angela Bassett interpretam um casal Dell e Desiree. Poderia descrevê-los?

RYAN: Bem, eles aparecem no freak show de Elsa, porque todos os outros circos foram fechados. Não tem mais lugar e estão desesperados para trabalhar. Não sabem mais o que fazer com suas vidas. Angela Bassett interpreta uma mulher com 3 seios e Michael é um homem forte, que também está fugindo da lei, porque eles descobrem que fez muitas coisas desastrosas.

EW: Quando você papeou com Angela sobre isto, ela meio que topou, tipo “Ok”? Qual foi sua reação?

RYAN: Eu acredito que ela disse “Ok”, e depois quis saber como seria sua prótese. Ela se senta no camarim do trailer orgulhosa com seus 3 seios de prótese.

EW: Emma Roberts interpreta um personagem chamado Maggie?
RYAN: Ela é uma vidente com uma bola de cristal, e é uma completa vigarista. Ela aparece no acampamento para ajudá-los e acaba tudo horrivelmente mal.

EW: Ela e o Evan tem uma relação amorosa nesta temporada?

RYAN: Sim, eles têm.

EW: E sobre Frances Conroy e Denis O’Hare?
RYAN: Denis é um vigarista que conspira com Emma. E Frances interpreta Gloria Mott. Finn Wittrock é Dandy Mott e eles são da sociedade extremamente rica de Palm Beach. Dandy está desesperado para adentrar ao elenco de freak show.

E Frances interpreta a mãe, que está aterrorizada e fará tudo para mantê-lo fora e longe destas pessoas.

EW: Por que Dandy quer entrar?

RYAN: Porque ele se identifica com eles. Ele se sente um freak no interior, mesmo sendo um homem bonito. Mas eles todos são um tanto míticos.

EW: E John Carroll Lynch é o vilão?

RYAN: Sim, ele interpreta o palhaço Twisty. Twisty é um palhaço assassino e está furioso porque os freaks apareceram na cidade, onde ele é o palhaço mais malvado de todos os tempos, já aposentado e está pronto para fazer suas vidas virarem um inferno. Sou fascinado por toda essa fobia de palhaço, eu pessoalmente não a tenho. Mas sempre que gravamos as cenas, metade do elenco tem que sair rápido, porque estão com medo dele. Tem algo muito interessante, que as pessoas se sentem aterrorizadas por palhaços. Então, eu decidi ir em frente, fazendo ele como o mais terrível palhaço de todos os tempos.

EW: Como ele é na aparência?
RYAN: Ele usa uma mascara na parte inferior do rosto e chega um ponto da série, que tira a máscara e você vê o que tem por baixo. Dá pra desmaiar de terror.

EW: Este ano, tempos Patti LaBelle. Conte-me um pouco sobre ela.
RYAN: Patti LaBelle interpreta a amiga e colega de trabalho de Fanny Conroy. Patti interpreta alguém que sabe o que está acontecendo na cidade e tenta parar isto. Ela foi incrível. Ela realmente não esteve atuando muito antes. Ela é o máximo. É outra pessoa do longo léxico de pessoas que estiveram no show e que sou particularmente fã.  Então eu a liguei e disse “Eu te amo, você faria isto?”.  Eu gosto de fazer isso a cada ano. Diana Ross, seu telefonema está a caminho, é tudo que tenho para dizer.

EW: Ela canta?

RYAN: Ah não, porque é uma parte dramática e em linha reta. É o oposto do que as pessoas esperam.

EW: E há alguma cantoria nesta temporada?

RYAN: Sim, de algum jeito. É um show de freaks. Têm visuais maravilhosos. É um espetáculo de circo. Têm atos musicais. E o talento de Jessica no show, também é o de ter sido uma cantora de noites. Então ela dá uma palha para seu show.

EW: E Gabourey Sidibe? Ela é filha de Patti?

RYAN: Sim. Ela é alguém que foi para Nova York, se tornou uma garota da sociedade e retorna quando sua mãe não está atendendo mais suas ligações.

EW: Você está pulando períodos de tempo novamente?

RYAN: Sim, nós vemos nos anos 30, o que Jessica estava fazendo em 1932, em Berlin. Nós vemos uma Kathy Bates jovem. Nós vemos um circo e a crueldade que era nos anos 20.

EW: Halloween será em duas partes, como tradicional?

RYAN: Sim.

EW: Parece que envolve o personagem de Wes Bentley;

RYAN: Ele interpreta uma criadura mítica, chamada Edward Mordrake.

Edward Mordrake é famoso no mundo de horror. Ele era um homem de duas faces. Uma face normal e outra face do outro lado da cabeça, que sussurrava coisas malignas e forçava a outra face a cometer crimes horríveis. Wes está fazendo vários episódios. Ele atormenta todo mundo. Os artistas do freak tinham uma superstição bem especifica sobre o personagem Edward Mordrake. É bastante como Bloody Mary. É naquele tipo de reino.

EW: Está mais para Asylum em termos de horror ou está mais sobrenatural, como Coven?

RYAN: Não, não tem nada sobrenatural… Bom um pouco. Está mais para Asylum. Não tem nada de Elizabeth Montgomery e bruxarias do tipo acontecendo. Nesta temporada, uma vez que você morre, permanece morto. Não há coisa sobrenatural para te trazer de volta, como no ano passado. É completamente novo. A gente sente que é completamente novo. Estou filmando de um modo diferente. Parece diferente.

EW: Já pensou sobre a quinta temporada, já?

RYAN: Tenho algumas ideias que eu realmente gosto. Estou meio que pensando sobre algumas. Provavelmente irei divulgar dicas também..

Tradução e adaptação: Marianna Marcinichen Garcia

  • leo liçarassa

    VAI SER FODAA!!!