Evan Peters fala sobre o seu personagem em “Coven”

Já vimos Evan Peters interpretar um garoto que atirou em colegas de escola, esquizofrênico e “morto”. O vimos sendo um mecânico e agora, nesta entrevista, Peters falará sobre o seu novo personagem, Kyle, um garoto da fraternidade. Será que os fãs de tumblr ainda o amarão, caso esteja bebendo cerveja com as bruxas de New Orleans? Provavelmente. Confira o que Peters tem a dizer sobre a terceira temporada de American Horror Story.

Já o vimos interpretar um psicopata, um cara bonzinho… E agora? Como você descreve o seu personagem este ano?

 Evan Peters:  Seu nome é Kyle, ele faz parte de uma fraternidade, e só posso lhe revelar isto. Ele é do tipo: “se quer, vá atrás”. Ele está nesta casa de fraternidade porque ganhou uma bolsa de estudos. Então ele consegue ir para Tulane, e as coisas começam a ir bem lá, muito bem para ele, até ele conhecer Zoe.

Nas primeiras temporadas, a série ia pro passado e pro presente consecutivamente. Coven trata dos dias atuais. Qual tipo é mais divertido?

Evan Peters: Eu acredito que os anos 60 eram bem mais divertidos. Era muito, muito divertido. Devia ser legal apenas escutar música diferente, ter um cabelo diferente. Não havia grosseria e era algo que eu realmente gostava. Mas aí você vai para o presente e tudo fica mais fácil, porque você faz parte disto e não precisa se esforçar tanto. Então, ambos são legais.

Todo ano, vocês arrasam o figurino e com os sets de filmagem. Há algo em particular que você está empolgado para que as pessoas vejam este ano?

Evan Peters: Sim, muitas coisas. Eu acho que todo mundo vai amar as fantasias deste ano. São realmente fantasias e não mais figurinos apenas. Tudo é muito assustador e bonito, de algum modo. E a casa, a casa onde todas aquelas bruxas vivem é simplesmente linda. É gigantesca e linda.

American Horror Story tem uma boa reputação com o poder feminino. Com Kathy Bates e Angela Bassett este ano, como o predomínio de elenco feminino interfere em seu personagem? Você é um dos poucos caras no set?

Evan Peters: Não, eu não sou. Há vários caras no set. Mas não atuo particularmente com estes caras, exceto no começo. Tem um conceito errôneo de que eu sou o único cara do seriado. Eu realmente não sou. Tem o Denis O’Hare, que está presente nesta temporada, presente demais, eu diria. Acho que, por causa das bruxas, têm mais mulheres, claro. As mulheres predominam, são o charme da minissérie.

 Será que poderemos ter algum personagem bruxo na minissérie?

Evan Peters: Não, não há nenhum bruxo. Pelo menos não que eu esteja sabendo.

O quanto gravar em New Orleans influenciou esta temporada?

Evan Peters: Nossa isso é incrível. É tão quente e assustador lá. É velha e bonita. Ótimo lugar para fazer um show de terror. Com toda certeza, é uma das cidades mais assombradas de todo o mundo. Todos gostam de contar histórias de fantasmas. Têm histórias todas as noites. Tem sido demais trabalhar lá. Acredito que de longe é meu lugar preferido para gravar.

Poderia falar sobre os desafios e as coisas positivas com o mesmo elenco, mas com personagens e histórias totalmente diferentes? Como é atuar com as mesmas pessoas, mas em um novo cenário, tudo novo?

Evan Peters: É muito diferente. É incrível, porque você vê um lado diferente de todo mundo sempre. Quando você atua, você se transforma em outro alguém e você deve reagir diferentemente de como reagiria, para aquilo dar certo. Então, eu acho fácil, porque o roteiro é muito bem escrito para todo mundo. Aí você olha para alguém, por exemplo a Jessica Lange, e você não vê ela, lendo o script, mas seu personagem. Tem sido extremamente desafiador interpretar um personagem totalmente diferente do outro em cada temporada. Mas tudo influencia para que seja um sucesso. Os sets nunca decepcionam, assim como as pessoas que trabalho.

Você  já interpretou vários personagens confusos. Você interpretou um personagem que não era compreendido por sua família e perdeu o rumo completamente. Kit era também confuso e não compreendido, sendo que as pessoas o chamaram de mentiroso e o trancafiaram num sanatório. Kyle também é incompreendido?

Evan Peters: Sim, eu acho que ele é de alguma forma. Não posso divulgar o por quê. Mas ele é de fato, incompreendido. Não sei por que eles continuam escrevendo um personagem com essa veia para mim. Realmente não sei. (Risos)

Tradução e adaptação: Marianna Marcinichen Garcia.

'