REVIEW E02 – MASSACRES AND MATINEES

ATENÇÃO! CONTÉM SPOILERS.

 

O titulo Massacres and Matinees (Massacres e Matinês) define muito bem o episódio. Mais mortes violentas acontecem e as matinês figurativamente representam a separação entre os freaks e os dito normais.

O episódio mantém a bem cuidada fotografia de Michael Goi e mais uma vez podemos ver cenários, figurinos e maquiagem surpreendentes.

Foi escrito por Tim Minear e dirigido por Alfonso Gomez-Rejon, que, como eu temia, voltou a utilizar sua marca de ângulos estranhos e a insuportável lente olho-de-peixe. Pelo menos dessa vez ele não abusou do uso, mas mesmo assim eram dispensáveis.

O MASSACRE CONTINUA

De cara Twisty mata mais dois fazendo com que seja decretado um toque de recolher. O que não fez muito sentido já que o palhaço matou a maioria de suas vítimas de dia. Enfim…

Mas inexplicavelmente ele ainda mantém a moça e o garoto do primeiro episódio reféns. Ele leva um robozinho de corda pra eles e eu nem consigo imaginar o porquê disso.

Em seguida a moça golpeia o palhaço e os dois fogem correndo em diferentes direções. Nesse momento podemos ver de relance a boca desfigurada de Twisty que segue o menino. A moça acaba esbarrando em Dandy que a pega e a leva de volta para o trailer abandonado e ficamos sabendo que o rapaz é muito mais estranho do que parece quando ele supostamente se alia ao palhaço.

VERDADEIROS BIZARROS

Dandy e Gloria Mott são mais estranhos que os próprios freaks. Eles têm uma relação muito peculiar que beira a loucura.

Durante um jantar, Dandy se mostra extremamente entediado e a mãe tenta animá-lo falando as coisas mais inusitadas possíveis. O rapaz pega sua mamadeira de cristal (só isso já é bizarro o suficiente) e coloca conhaque dentro.

Gloria fala sobre as diversas garotas que ela apresentou para Dandy e sugere que o rapaz lhe dê um neto mas ele se irrita e diz: “Never! Babies are more boring than anything.” (Nunca! Bebês são mais chatos que qualquer coisa.). Ele sai descontrolado da casa enquanto a mãe sugere, inclusive, que eles podem brincar com bonecas de papel, se ele quiser.

Dandy fala de seu desejo em ser ator e vai para o circo. Lá ele fala com Jimmy sobre isso, mas este rechaça o rapaz que sai da tenda contrariado e bate diversas vezes com a cabeça no volante de seu carro enquanto grita repetidamente: “I hate you” (Eu te odeio.).

Patti LaBelle aparece nesse núcleo como a empregada dos Mott. Depois de Patti Lupone em Coven, não me surpreendeu que a Diva do Soul tenha uma participação pequena e não cante.

A empregada revela para Gloria que achou, de novo, pelo e dentes atrás do galpão e está abalada porque o gato do vizinho sumiu e acrescenta que as pessoas estão desaparecendo ou sendo assassinadas na cidade. Gloria se recusa a admitir que o filho possa estar envolvido nisso.

OS NOVOS FREAKS

Dell Toledo (Michael Chiklis) e Desiree Dupree (Angela Bassett) chegam no acampamento e vão falar com Elsa sobre trabalharem lá.

Durante a conversa aparece um flashback de três semanas atrás mostrando Desiree transando com um rapaz (que posteriormente descobrimos que era gay) e Dell quebrando seu pescoço de forma tão violenta que sua cabeça gira 180 graus.

A princípio Elsa não tem interesse em contratá-los pela fama do Strongman ser um homem temperamental e assassino. Quando Desiree prontamente auxilia o marido dizendo “There ain’t no murder if there ain’t no body” (Não há assassinato se não há corpo).

Depois ela mostra a Elsa uma de suas peculiaridades: três seios. E revela: “Three titties, proper girl parts and a ding-a-ling, I’m a full-blown hermaphrodite.” (Três peitos, partes próprias de garota e um bilau, eu sou uma hermafrodita completa.).

Mais tarde Ethel confronta Dell e ficamos sabendo que ele tentou matar Jimmy quando este ainda era um bebê. Ela o quer longe dali e de seu filho, mas ele não cede.

É interessante pensar sobre a masculinidade do Strongman, já que Dell era casado com uma mulher barbada e a nova esposa é hermafrodita. Ao mesmo tempo em que não aceita o fato de Elsa ser sua chefe por ser mulher.

Controverso esse homem. E cruel. Tentou matar o filho por sua condição e trata os freaks quase com desprezo. E certamente vai continuar tentando conseguir o controle do show.

O GUARDIÃO

Jimmy mais uma vez mostra que é o macho alfa do grupo. Ele faz qualquer coisa pelos freaks.

Depois da chegada de Dell (que ele ainda não faz ideia que é seu pai), Jimmy mais uma vez tenta provar que os freaks são pessoas como outras quaisquer. Ele leva os amigos para a lanchonete e isso causa repulsa nos outros clientes e funcionários de lá.

Uma confusão se instaura, Dell chega e fica irritado com a ideia de Jimmy em leva-los lá. Tira o rapaz da lanchonete a força e o agride fisicamente enquanto os freaks ficam apenas na janela olhando.

Jimmy procura Elsa e prova a ela que é capaz de defender a trupe e que eles não precisam de Dell. Mas Elsa só aceita que Dell deve ir após ver que está sendo relegada a segundo plano em seu próprio show.

E na tentativa de incriminar Dell, um dos freaks acaba preso em seu lugar e, para desespero de Jimmy a consequência é fatídica. [Aparte: Na cena final, quando Jimmy está abaixado e os freaks começam a rodea-lo, foi impressão minha ou eles esqueceram de colocar a segunda cabeça das siamesas?].

MOMENTO GLEE

Dot canta duas músicas neste episódio: Dream a Little Dream of Me e Criminal. O inusitado é que a segunda só foi gravada por Fiona Apple em 1996, ou seja, 74 anos depois da época em que se passa Freak Show.

Eu até gostei de ver mais um talento de Sarah Paulson, mas espero que números musicais não virem rotina em Freak Show. Em Asylum, The Name Game foi bacana porque foi inesperado, mas as aparições de Stevie Nicks em Coven foram tão entediantes quanto desnecessárias.

E apesar de Freak Show estar apenas começando, já surgem teorias de qual será o tema da 5ª temporada. E a escolha das músicas me fez pensar em “Universos Paralelos”. AHS sempre é fiel às respectivas épocas em que está se passando a história e de repente Elsa (com Life in Mars, de 1971) e Dot cantam músicas que só seriam lançadas décadas depois. E vocês, o que acham?

 

Frase de Impacto: De Dandy – “I’m turning to dust from boredom.” (Estou virando pó de tanto tédio.).

Melhor momento: O confronto entre Dell e Jimmy quando a polícia chega no acampamento. Impecável!

Pior momento: A cena de Dandy e Twisty na sala de brinquedos. Achei que poderia ter sido mais tensa pra nos fazer ficar desesperados com um ataque do palhaço ou algo assim, mas nem deu susto.

Destaques: Evan Peters e Michael Chiklis. Parece que estão querendo se redimir por causa do Kyle e deram um personagem muito bom pro Evan dessa vez e ele está arrasando. E o Michael chegou mostrando do que é capaz e já conseguiu fazer de Dell um vilão mais odiado que o próprio palhaço.

  • Thaís

    Essa temporada ainda está me causando um certo estranhamento… porém, me animou mais q o coven

  • Frederico Brison

    Boa noite, Andrea. Excelente resenha, li com gosto. Mas na última cena – a que cita terem esquecido uma das cabeças das gêmeas – eles não esqueceram porque ela não estava na cena. Fora isso, adorei.

  • Bruno

    Não gostei da resenha. Achei pouca análise e meio fora de ordem. Apenas narrou os fatos com pouquíssimos comentários. Não citou nada sobre o Meep, sobre a conversa de Ethel e Jimmy e mais algumas análises que geralmente vemos em resenhas e que vimos na do 1º episódio.