Ryan Murphy revela detalhes da segunda parte de American Horror Story: Roanoke

rs_1024x759-161013094852-1024-ahs-roanoke-9-ch_-101316-e1477062453160

Na última terça-feira (18), Ryan Murphy revelou detalhes importantes sobre a segunda parte de American Horror Story: Roanoke ao portal E! News e agora trazemos a matéria traduzida, então, confira abaixo tudo sobre a nova fase da sexta temporada:

‘AMERICAN HORROR STORY: ROANOKE’: RYAN MURPHY REVELA EM QUEM NÃO DEVEMOS CONFIAR

‘American Horror Story: Roanoke’, nas palavras do Evan Peters, eu só gostaria de dizer que prometo te amar para caralho por toda a eternidade!

Quão. Divertido. Foi. Aquilo?!!

Não pense que estou me precipitando aqui ao dizer que o sexto episódio de Roanoke foi o mais divertido de toda a série.

Só eu acho isso? Sabia que não.

Como prometido, tivemos uma reviravolta radical na segunda parte da temporada, que nos apresentou algo completamente diferente: uma sequencia de My Roanoke Nightmare chamada Return to Roanoke: 3 Days in Hell, onde pessoas de verdade (Matt, Shelby e Lee), viverão numa casa junto com os atores que os interpretaram no badalado programa de 2015.

Há tanto brilhantismo para absorver – Evan Peters e seu personagem mais hilário até agora, aquele vídeo de casamento, o caso surpresa (!!!) entre Shelby (Lily Rabe) e o Matt de mentira (Cuba Gooding Jr)… e muito mais. Mas o que virá a seguir? E como essa ideia genial surgiu? Continue lendo e saiba do próprio co-criador Ryan Murphy.

KRISTIN: O que você fez? É maravilhoso! Mas como essa ideia surgiu?

RYAN MURPHY: Nós percebemos que fazer uma série de horror no formato de reality show, com todo mundo assistindo, não seria desafiador, pois todo mundo sabe que eles sobreviveram, nós os vimos sair da casa. Todo mundo viu o episódio em que Shelby e Matt entram no carro e vão embora. E acabou.

Mas não, não, não, não, não. Nós vamos dar desafios para vocês. O que eu mais amo sobre a fase atual é que todos estão na casa, achando que é tudo uma brincadeira, e então ficamos sabendo que cada um deles morreu, com exceção de uma pessoa. Então nos próximos quatro episódios nós estaremos nos perguntando: “Ok, quem conseguiu sair de lá vivo?”. E o que farão para se vingar de uma rede de televisão que os colocou numa situação em que todos serão mortos? Então, isso meio que foi – e é – uma crítica aos reality shows, porque eu sinto como se isso fosse o próximo nível de algo muito ruim, onde alguém vai morrer por causa da realidade na TV.

Eu sou um grande fã de realities, sempre fui. Viviam me pedindo para fazer um reality-show, e eu meio que fiz com o programa ‘The Glee Project’, o que foi muito interessante. Não é a coisa favorita que eu já fiz, para ser sincero. Mas amo o formato e assisto muito disso! Tem um filme incrível chamado ‘Rede de Intrigas’, de Paddy Chayefsky – onde tudo o que ele escreveu em 1975 acabou se tornando verdade. O que estou fazendo é meio que um tributo ao filme, e de alguma forma eu queria ir além.

rs_1024x759-161013094851-1024-ahs-roanoke-8-ch-101316

KRISTIN: Podemos contar com Matt, Shelby e Lee como testemunhas confiáveis? Até agora encaramos o que eles nos apresentaram sem questionar.

RM: Meu comentário no assunto é: Você não pode confiar neles. Eu acho que os três deles são… O que disseram e o que explicaram em suas versões dos acontecimentos não é exatamente a verdade.

KRISTIN: Essa reviravolta é para a sexta temporada apenas? Ou é possível que todas as temporadas de American Horror Story fossem documentários? Na segunda temporada, Lana Winters vai para Briarcliff com uma equipe de filmagem e diz quase a mesma coisa que o Sidney disse sobre não desligar as câmeras.

RM: Não, não, não. É só esta temporada. Mas há muitas ligações a outras temporadas este ano, como alguns fãs perceberam. Eu li ótimas teorias de fãs de que o primeiro episódio da temporada era sobre Murder House, o segundo sobre Asylum e há um pouco de verdade nisso se comparado com como mapeamos os primeiros cinco episódios. Fizemos uma espécie de tributo para cada temporada anterior em cada episódio.

Obviamente a personagem de Lady Gaga era a Suprema de todas as Supremas e isto é uma conexão com Coven. Então há algo que fascinante na mitologia do seriado que estamos tecendo aqui. E há outras coisas fora isso… Eu não quero dizer muito mais.

rs_1024x759-161013094855-1024-ahs-roanoke-7-ch-101316

KRISTIN: Kathy Bates é tão boa em ser desequilibrada! Até que ponto ela fica louca?

RM: A personagem de Kathy Bates é uma atriz fora do mercado que teve sorte em ter esse papel da Açougueira, embora ela seja absolutamente psicótica na vida real. Kathy meio que voltou às suas raízes de Misery e ela comentou várias vezes que esta temporada é a favorita dela porque ela teve duas façanhas em atuação durante episódios que são incríveis. O sétimo episódio é simplesmente o show de Kathy Bates e acho que é o melhor trabalho dela em qualquer temporadas, aquele episódio. É espantoso! Ela tem um monólogo de três minutos, acredito, em que ela está olhando para a câmera e o que temos é Kathy na câmera sendo sua persona fodona ganhadora de Oscar.

KRISTIN: Audrey (Sarah Paulson) não pareceu muito impressionada com Shelby (Lily Rabe).

RM: Exatamente! E eu amei isso, porque ela basicamente pensa que Shelby é maluca por não ter deixado a casa, da mesma forma como quem estava assistindo, e agora lá está ela! Eu amo o fato de que Sarah Paulson agora está basicamente interpretando Glenda Jackson, com seu sotaque britânico, e ela é uma atriz britânica cujo único trabalho que conseguiu foi fazer este a parte de reconstituição dentro deste programa. O personagem da Sarah pensa que Shelby é completamente maluca por ter ficado na casa anteriormente, o que é algo que várias pessoas estavam falando.

rs_1024x759-160923073034-1024-ahs-roanoke-5-ch-092316

KRISTIN: O que podemos esperar dos cinco últimos episódios?

RYAN MURPHY: Trata-se de uma reviravolta muito revigorante, e os episódios subsequentes são ainda mais intensos e angustiantes. O elenco é bem grande, no típico estilo de American Horror Story, mas apenas um deles consegue sair de lá vivo, e eu acho que isso é algo muito divertido para os fãs assistirem e tentarem adivinhar quem será o sobrevivente. Quem será o último a permanecer vivo. E o que vai acontecer com esta pessoa.  É disso que o resto da temporada se trata. É muito intenso e foi muito divertido escrever. Eu amei fazer 10 episódios, porque sinto que comprimimos a temporada e não desperdiçamos nada – nós apenas fizemos tudo o que queríamos, e isso é ótimo!

Tradução e revisão por Rafaela Tavares e Aline Ruth Schmidt.

O próximo episódio de American Horror Story: Roanoke, intitulado “Chapter 7”, vai ao ar no próximo 26 de outubro, pelo canal americano FX (USA) e no FX Brasil vai passar do dia 27 para 28, às 00h30.