Emma Roberts fala sobre o retorno de Madison e ser dirigida por Sarah Paulson

Realmente não havíamos visto pela última vez a personagem de Emma Roberts em American Horror Story, Madison Montgomery, mesmo após o fim de Coven. Roberts retornou a antologia do FX no terceiro episódio da atual temporada, Apocalypse, onde as bruxas chegam ao bunker – e enfrentam o superpoderoso Michael Langdon de Cody Fern. O episódio seguinte releva mais sobre o que Madison estava fazendo todo esse tempo — presa no seu inferno pessoal (como uma vendedora maltratada) — antes de Langdon salvá-la.

“Eu fiquei rindo”, Roberts disse sobre como Madison estava. “Eu pensei, ‘É claro que Madison está dobrando toalhas no seu inferno pessoal.'”

A Variety conversou com Roberts para falar sobre como Madison mudou (ou não) desde a última vez que a vimos, ser dirigida por sua companheira Sarah Paulson, e ver uma certa fala de Coven virar meme.

VARIETY: Você pensou que teria uma chance de interpretar novamente Madison?

EMMA ROBERTS: É engraçado. Sabe, Ryan e eu conversamos sobre trazê-la de volta em temporadas passadas de “Horror Story”. Houve um momento em “Hotel”, onde ela voltaria. Mas estou contente que esperamos e fizemos agora, pois essa temporada é muito divertida e especial e nós realmente juntamos todo o grupo. É uma temporada muito, muito divertida. Estou contente que esperamos, e estou contente que aconteceu pois lembro que depois de “Coven” eu senti saudades da Madison e da temporada e outras pessoas sentiram também. Então trazer tudo de volta e ainda fazer um crossover com “Murder House”, é muito legal.

V: Como Madison mudou desde a última vez que a vimos?

ER: Essa temporada é muito divertida para Madison pois ela definitivamente pensa que voltou mudada do inferno. Ela pensa, “Essa é a minha segunda chance. Agora acordei para a realidade.” Claro que é divertido ver as formas que ela acha que mudou. E é claro que ela não é a mesma Madison. O tempo e o inferno mudam uma pessoa.

V: Madison está em uma posição interessante pois foi salva por Langdon, mas a vemos no presente com Cordelia. Devemos questionar com quem está sua lealdade?

ER: Com certeza. Acho que, melhor, espero que as bruxas fiquem do lado das bruxas, mas… nunca sabemos.

E agora nós temos os bruxos, e meio que virou uma briga dos sexos.

Eu fiquei muito animada com essa parte dos bruxos, especialmente porque os bruxos são interpretados por uns dos melhores e mais engraçados atores. Mas, sim, eu amo esse enredo. Pois não é só os bruxos contra as bruxas, e sim em uma escala maior, o bem contra o mal. É interessante ver aonde as pessoas se encontram nisso.

V: Como ela vê as novas bruxas como Mallory (Billie Lourd) e Coco (Leslie Grossman)?

ER: Ela não está contente com isso. Ela mal está feliz sobre Queenie e Zoe e ela as conhece há anos! Não acredito que ela goste das novas bruxas.

V: Parece que Madison e Coco em especial poderiam ter cenas interessantes juntas.

ER: Honestamente, estou rezando pelo meu momento com Leslie Grossman, pois eu morro por ela. Literalmente, não há ninguém mais engraçado no mundo.

V: O que você diria que motiva Madison? Ela ainda quer ser a suprema?

ER: Madison não pode. Ela tentou e não passou no teste, então ela nunca mais poderá ser a suprema. Acho que ela quer desesperadamente ser a suprema, mas não pode. Quando você tenta e não consegue, acabou. É isso. Acho que ela ainda está chateada sobre isso.

V: Leslie Grossman disse que é estranho filmar em um bunker e não saber que horas são. Você sentiu isso?

ER: Não, o pior e mais arrepiante é filmar fora do bunker. No meio do nada e, sempre que filmamos lá, eles colocam fumaça falsa para ficar mais assustador. É definitivamente estranho filmar no meio do nada nesse bunker falso no meio de um campo. É assustador para mim.

V: Muitos colegas de elenco estão interpretando múltiplos personagens. Você irá interpretar algum outro personagem sem ser Madison essa temporada?

ER: Posso dizer com confiança que eu não sei. [Risos] Porque não finalizamos as filmagens da temporada. Tudo pode acontecer.

V: Então você não faz ideia do que vai acontecer? Ryan não te avisa com antecedência?

ER: Meu Deus, não. Definitivamente não. Durante “Coven”, ele disse individualmente para todas nós que nós éramos a suprema. Então estávamos agindo como se fôssemos a suprema, e depois não éramos. Estávamos andando e pensando “Ninguém sabe, mas sou a suprema.” E depois, contamos uma a outra.

V: Você trabalhou no episódio que Sarah Paulson dirigiu recentemente?

ER: Me sinto sortuda em dizer que trabalhei bastante naquele episódio e tive uma experiência incrível trabalhando com ela. Eu já estou pensando em livros para entregar a ela para ela dirigir como filmes. Acho ela muito talentosa e ela faz você queira fazer um bom trabalho. Ela também nos deixa criativos, o que é difícil na TV algumas vezes. Tudo é muito corrido, e ela trouxe uma criatividade e diversão que não está lá sempre. Fiquei muito animada em trabalhar com ela. Também fiquei muito feliz e orgulhosa dela, pois é difícil. Atuar e dirigir, não sei se conseguiria fazer os dois. Ela também atuou no episódio. Fiquei muito impressionada.

V: Parece ser bem comum que, ao trabalhar com diretoras mulheres, há menos pressão e é menos corrido. Você já teve essa experiência?

ER: Posso falar sobre meu trabalho com Sarah, que foi definitivamente uma experiência incrível. Trabalhar com Gia Coppola [em “Palo Alto”] foi uma experiência muito especial. O laço que tínhamos em tão pouco tempo. Trabalhar com Jennifer Lynch nessa temporada de “American Horror Story” também foi muito divertido. Ela é incrível. Então, sim, eu amo trabalhar com diretoras mulheres e espero trabalhar com outras mulheres incríveis.

V: A sua fala “Aposto que pensou que eu estivesse morta” virou um meme muito famoso. Como foi reprisar a fala?

ER: Eu fiquei tão assustada! Fala sério? Olha só: quando a dissemos originalmente – se me dissesse para escolher uma fala de toda a temporada para virar um meme, essa teria sido a 24ª da lista. Eu não imaginava que viraria o que virou. O que você viu foi tão natural. Entendeu o que eu quis dizer? Eu não estava tentando fazer algo especial. Foi muito divertido ver a reação das pessoas.

V: Existe alguma coisa que “Horror Story” não falou sobre que você gostaria em uma temporada?

ER: É engraçado você perguntar isso, porque existem duas coisas que vem na minha cabeça, e ela já foram feitas. Eu pensava “Hotel”! “Sanatório” e “Hotel”. Essa temporada “Apocalypse”, foi algo que eu sempre quis que eles fizessem. E fizeram de uma forma tão inteligente. Eu não sei! O que você gostaria de ver?

V: Eu gostaria de ver o Anticristo, mas já estão fazendo isso em “Apocalypse”! Não sei o que restou.

ER: Eu não sei. Sabe qual temporada eu amei? Eu amei “Roanoke.” Gostaria de ver algo baseado em fatos reais, acho muito interessante algo baseado em fatos históricos, mas com uma pegada do Ryan Murphy. Talvez algo nesse estilo.

American Horror Story: Apocalypse é exibido todas as quartas-feiras às 23h00 (horário de Brasília) no FX USA, e exibido no Brasil no dia seguinte, quinta-feira, às 15h20, no FX Brasil. Para receber novidades diárias sobre American Horror Story, siga-nos também no FacebookTwitter Instagram.

Por Gabriel Fernandes em 11 de October de 2018

Tu fui, ego eris. Arquiteto e ilustrador independente, grande fã do gênero terror.